Vamos falar um pouco da Tania, até porque Tania não está sozinha nessa!
Por muitos anos (exatamente desde 2009) o meu corpo dava sinais de algo não estava 100%. Na época ainda era fumante, estava no desmame das anfetaminas (relato nos destaques dos stories), depressão, anemia e mudança de país. Logo, era aceitável não estar 100%. A conta fechava no negativo e com razão.
Em 2011 iniciei as mudanças no meu estilo de vida. Larguei tabagismo, larguei anfetaminas, melhor alimentação e tratamento contra depressão. Uma luz no fim do túnel.
Os efeitos dessas mudanças positivas durou algum tempo e de 2012 para 2013 voltei a me sentir estranha novamente e saga de médicos e exames começou. Foi aí que as primeiras alterações no colesterol e vitamina D começaram. Em 2013 minha tireóide começou a dar sinais de que não estava bem.
Mas, as taxas tireoidianas estavam boas, na verdade ótimas! Mais mudanças no estilo de vida em 2013. Entrei com tudo na keto e mais uma vez outra lua de mel, onde eu me sentia melhor e achava que tudo estava resolvido.
2015 novamente me sentia mal, cansada, estranha. Foi quando eu comecei com jejum intermitente. Mais uma lua de mel.
Em 2016 início da musculação, alimentação cetogenica, comida de verdade, jejum intermitente e … a conta não fechava!
Sempre com frio, colesterol alterado, dificuldades em ganhar massa, muita celulite, extremidades geladas (nessa época morava em Belém), zero transpiração e resistência à insulina…
Em 2017 a coisa foi piorando e passei a ter edema na face e mãos, além dos outros sintomas! Nódulo na tireóide, porém taxas da tireóide perfeitas!  Final de 2017 retorno à Noruega e a casa caiu de vez! Além da sensibilidade ao frio passei a ter intolerância ao frio, dormia 14 horas dia e me sentia cansada, peso subiu mesmo mantendo OMAD, dieta cetogênica e musculação. Por conta do ganho de peso súbito (13kg em 6 semanas) resolvi investigar a tireóide novamente. E novamente tudo em níveis ótimos, veja bem, não estavam ok: estavam ÓTIMOS!  E eu me sentindo um lixo!
Em maio de 2018 diagnóstico de câncer de tireóide. Junho 2018 tireidectomia total (retirada da tireóide). Setembro 2018 iodoterapia.
Após 9 meses de reposição hormonal (hormônios tireóide) minha vida começou a ter nova cor! De 2019 para cá tudo vem melhorado. Finalmente o meu corpo responde aos estímulos positivos e estou mais próxima de uma vida plena!
Mesmo em carnívora a dislipidemia ficou resolvida, composição corporal é provavelmente a melhor de toda minha vida, resistência à insulina inexistente, finalmente transpiro e continuo buscando formas de melhorar a minha performance e saúde!
Acompanhem-me para saber os próximos capítulos dessa história 😘

Leave a comment